segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

A Todos um Feliz Natal!!


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Amamentar

Sempre quis amamentar. Sempre que pensava em ter filhos, pensava em amamentar. Um desejo que tinha e que se manteve ao longo dos anos e da gravidez.
No entanto, confesso, nunca investiguei muito o assunto, não fazia a mínima ideia do que era de facto amamentar, dos seus benefícios para mãe e bebé, das recomendações e dificuldades que podem advir.
Só nas aulas de preparação para o parto é que tive contacto com o assunto pela primeira vez e hoje vejo que o que foi dado na altura foi insuficiente e haveria muito mais a considerar.

Nesse curso aprendi quais são as recomendações da Organização Mundial de Saúde relativas à amamentação:

  • As crianças devem fazer aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses de idade. Ou seja, até essa idade, o bebé deve tomar apenas leite materno e não deve dar–se nenhum outro alimento complementar ou bebida.
  • A partir dos 6 meses de idade todas as crianças devem receber alimentos complementares (sopas, papas, etc.) e manter o aleitamento materno.
  • As crianças devem continuar a ser amamentadas, pelo menos, até completarem os 2 anos de idade.


Aprendi que as mães devem ser encorajadas a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto, a permanecer em alojamento conjunto junto do filho 24 horas por dia e a deixar o bebé mamar quando quer. Falou.se muito dos benefícios do leite materno (http://www.leitematerno.org/porque.htm), da posição e da pega correta (http://www.leitematerno.org/posicao.htm), mas... e quando vamos para casa? E quando a subida do leite tarda ou é dolorosa?

Nem eu nem o meu marido fomos amamentados, razão pela qual eu achava que não ia ter leite. Além disso, durante a gravidez não tive colostro e andava convencida de que não iria ter leite algum.
Mas, logo depois do parto, depois de tratarem de mim e do bebé, puseram o meu filho na mama e a magia aconteceu... Afinal tinha colostro, afinal os meus medos não tinham razão de ser, o meu filho estava a mamar, eu estava a amamentar!

No início tudo foi natural, o meu filho mamava bem, muito e muito tempo. O único senão era adormecer a mamar. Tinha de o estimular constantemente e parecia não fazer outra coisa a não ser mamar e dormir. Não me senti apoiada no hospital, mas também não me senti desamparada, foram-me dadas as noções básicas.
Tudo mudou ao chegar a casa. Depois de tanto ter sido examinado para lhe darem alta no hospital, o meu filho estava esgotado, só dormia, nem para mamar acordava. Fiz de tudo, ele estava há várias horas sem comer e eu estava a ficar desesperada, simplesmente não pegava na mama. Tentei tirar leite para um biberão com uma bomba emprestada mas nada saiu. Só me restou ceder a comprar leite artificial e aí ele mamou, e muito, claro, era muito mais fácil que tirar da mama.
Senti-me muito mal, sofri muito com o baby blues e ainda mais com esta situação... Pior foi quando finalmente chegou a subida do leite, uma semana depois (demorou muito a subida do leite porque o meu parto foi induzido, foi-me explicado depois, mas no hospital não me avisaram)...
Fiquei contente, pus logo o Miguel na mama, mas nada, não mamava, estava demasiado habituado ao biberão. Tirei com a bomba e dei em biberão, não queria, fazia-lhe os intestinos trabalhar, tinha dores (ele sofria muito com cólicas e andava obstipado por causa do leite artificial; o meu leite fazia funcionar os intestinos e soltar os gases e isso provocava-lhe desconforto).
Senti-me mesmo mal por ter agora leite e não ter o que fazer com ele. Deitei muito fora e hoje arrependo-me pois podia ter congelado. Simplesmente rendi-me, o meu filho não queria o meu leite. Mas não deixei de tirar com a bomba e tentar dar, para pelo menos melhorar a sua obstipação e ele lá ia bebendo algum. Mas a minha produção de leite ia sendo cada vez menor sem o bebé mamar diretamente.
Até que um belo dia, em que o pai tardava em chegar com o biberão. pus o meu filho na mama e ele não a rejeitou! A partir daí, dava mama e depois suplementava com o leite artificial, mas o meu objetivo passou a ser dar cada vez menos suplemento até passar a dar só leite materno!

Mas precisava de ajuda...
No centro de saúde existia uma enfermeira CAM (Conselheira de Aleitamento Materno), que tinha administrado o curso de preparação para o parto e que sempre disse que estava à disposição para ajudar, mas era agosto e encontrava-se de férias.
Recorri então a um grupo existente no facebook do qual tive conhecimento através de uma amiga: Amamentação com Desmame Natural (https://www.facebook.com/groups/202567586425304/).

Nesse grupo aprendi que não existe leite fraco ou insuficiente, mas sim:



Estas foram as principais noções gerais que aprendi e que têm a ver com as dificuldades que eu passei. Existem outras dificuldades mais graves, que apesar de tudo, têm solução e o ideal é as mães pedirem ajuda e terem muita força e paciência.

No meu caso, a solução passou por estar cerca de três dias com o meu filho pendurado na mama literalmente 24 horas por dia. Esvaziava um peito, passava para o outro, ainda tinha fome, voltava à primeira, e assim sucessivamente. Mudava a fralda, dormitava, e voltava outra vez a mamar... Se o bebé ficasse muito queixoso dava suplemento. Com o tempo produzi cada vez mais leite e dava cada vez menos suplemento, até que não precisou mais. Segui estas diretivas: http://mamaraopeito.blogspot.pt/2009/03/retirar-os-suplementos.html.
Agora às vezes os intervalos entre as mamadas são maiores, outras vezes menores, tem fases, como é normal e a solução é dar mais mama. Às vezes demora uma hora a mamar, outras despacha o assunto em 5 minutos. Nós adaptamos-nos ao bebé e não o contrário.

Agora não desisto quando a coisa fica difícil, em vez disso insisto!

O Miguel está com 3 meses e meio e continuamos a caminho dos 6 meses a leite materno agora em exclusivo!

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Os primeiros dias


Depois de um parto difícil e de alguns percalços, nas horas seguintes na maternidade, eu andei como que anestesiada... Uma sensação, para mim até então, desconhecida...
Nada mais importava que aquele ser lindíssimo e perfeito que se encontrava nos meus braços pela primeira vez... Uma sensação de enamoramento avassalador, impossível de explicar por palavras...
Uma vontade de agarrar e nunca mais largar aquele pequenino... Uma vontade de cuidar e mimar tão forte que faz esquecer de nós mesmos...
Naqueles primeiros dias eu ainda não sabia, andava anestesiada, mas hoje sei-o com toda a certeza: aquele ser pequenino mudou a minha vida completamente... Entrou na minha vida com uma revolução de sentimentos e de emoções indescritíveis de que eu não me julgava capaz... Mudou tudo e também as minhas prioridades... Acima de tudo, ...mudou-me completamente...

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Parabéns a mim!!!

Parabéns a mim!!!

Há 29 anos que nasci! E hoje é um aniversário ainda mais especial com o meu filhote :)


Imagem retirada de: http://1.bp.blogspot.com/-sjbmMbT6-Lw/UJeQEBRX-hI/AAAAAAAAAfo/PW_ab0g_9mU/s1600/parabens.gif

domingo, 2 de novembro de 2014

Um país

Queria levar-te a um país de Verdade e de Fé
Onde só existe o Bem e a Paz e não há malvadez.
Queria levar-te a viver num Paraíso de Amor e Pureza
Onde todos se amam e se vive em comunhão com a Natureza.

Mas esse lugar fica longe e não te posso lá levar,
Por isso, em vez disso, levo-te sempre dentro do meu coração!



Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Amor à primeira vista



No instante em que te vi
Algo em mim despertou,
Talvez amor ou paixão.
Neguei esse sentimento em mim,
Achei que não era verdade,
Achei que era impossível,
Cerrei-o bem longe de mim.
Mas não se pode fugir ao destino,
Ou fugir de nós mesmos
Para sempre.
Não se pode prender sentimentos
Nem se pode negar o Amor.
E, por isso, agora eu assumo:
Me apaixonei por ti…


Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

domingo, 28 de setembro de 2014

Como tudo aconteceu...



Um mês e meio passou desde que o Miguel entrou nas nossas vidas!
Já cresceu imenso desde o dia em que nasceu, já tem umas "rodelinhas" jeitosas, tá fofo fofo que só ele!!
Olha para nós, já interage imenso, sorri, quer já dar umas gargalhadazinhas e palrar!! Mexe imenso e já demonstra o seu temperamento!!

Está a ser um período de descobertas, novas experiências, novos sentimentos... Já vi que sou uma verdadeira mãe-galinha e que algumas das coisas que se dizem sobre esta coisa de ser mãe são mesmo verdade!... Por exemplo, é verdade que o nosso filho é sempre o mais lindo, o mais fofo, o mais inteligente, o mais tudo do mundo!! E acima de tudo, é verdade: não há amor maior que o amor de mãe pelo seu filho, são sentimentos que não cabem no peito de tão fortes!! É mesmo O Amor Maior!!

Estou a amar a experiência de ser mãe, de amar, cuidar, amamentar e mimar o meu filho!! Por vezes, é cansativo, cometem-se erros, tem-se dúvidas, mas tudo passa e se resolve e nada se compara ao prazer de ver o meu filho mamar, dormir, interagir, mexer, crescer!!!


E então, como tudo aconteceu desde a última vez que falaste sobre a tua gravidez prolongada?? Perguntam vocês e muito bem...
Pois é, se bem se lembram, o meu Miguel não queria sair da barriga da mãe, estava por cá muito bem, de maneira que chegamos às 40 semanas e nada, de forma que foi marcada a indução do parto para as 41. E foi mesmo às 41 semanas que o Miguel veio ao mundo.

Fui internada na sexta, dia 8 de agosto, zero contrações e apenas um dedo de dilatação. Deram-me a medicação e lá fiquei todo o dia de sexta e toda a noite de sábado a "marinar".
No sábado de manhã estava com 4 centímetros de dilatação e lá me mandaram tomar banho antes de ir para a sala de partos. No fim do banho rebentaram-me as águas de forma natural.
Já na sala de partos deram-me a medicação que acelera as contrações, uma vez que eu tinha zero, e a partir daí tudo se acelerou!! Quando as contrações vinham de 2 em 2 minutos levei a epidural, de que muito me arrependo, por volta do meio-dia e tal. Por volta das 13 horas comecei a sentir vontade de puxar, de fazer força. A maioria do pessoal estava a almoçar, pelo que apenas uma enfermeira me assistiu.
Estava pronta para ter o bebé e comecei a fazer força, e foi aí que as dores vieram, senti tudo e mais alguma coisa, o bebé era grandinho, o meu marido também teve de ajudar uma vez que eu estava sozinha com uma enfermeira, mas às 13h29 o Miguel estava em cima da minha barriga, lindo e perfeito, e tudo foi esquecido e nada mais importava senão ele.
Felizmente estava tudo bem com o bebé, aí uma outra enfermeira tinha entrado para cuidar dele enquanto a primeira enfermeira me tratava. Mais uma vez tive imensas dores ao coserem-me, parecia que nunca mais acabava. Realmente levei muitos pontos e perdi muito sangue. No final puseram-me o bebé ao peito e comecei logo a amamentar!
Ainda tive um acidente com um catéter e perdi mais sangue, no internamento também desmaiei na casa-de-banho à noite, pois disseram-me para me levantar e tomar banho mas claramente não estava preparada, e os pontos doíam e eram muito desconfortáveis, mas estava imensamente feliz com o meu filhote ao meu lado!
Foram três dias de noites em claro e o alívio foi grande ao voltar para casa com o meu bebé cheio de saúde!!

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Bem-vindo Miguel!!

Apresento-vos o Miguel! 
Nasceu no sábado, dia 9, com 3720 kg e 50 cm! 
Correu tudo bem com a mãe e o bebé! 
Vejam lá que fofura!




Pois é, tenho estado ausente do blogue, percebem bem porquê... 
Ele é um amor, fofinho, lindo, lindo!!
O tempo é passado entre os cuidados ao bebé, o dormir quando ele deixa :) e o olhar embevecidos para ele e o seu jeito já malandrinho :) !!

Voltarei sempre que puder, entretanto vou ali olhá-lo a dormir mais um pouco!! :)

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

40 semanas and still waiting...

Pois é, ainda à espera...
Continua tudo igual, mas já está marcada a indução do parto!
Se nada acontecer entretanto, de hoje a 8 dias o Miguel vai nascer quer queira quer não!! :)

Ansiosa, mas tranquila... A aproveitar os últimos dias de gravidez!!

sábado, 26 de julho de 2014

Daqui não saio, daqui ninguém me tira!!

Toda a gente dizia que ele nasceria mais cedo...
Uns falavam no dia 6, outros no dia 10, outros dia 17, a última ecografia até falava no dia 23... Mas o que é certo é que as 40 semanas só estarão completas no dia 1 de agosto e cheira-me que o bebé quer ficar pela minha barriga até esse tempo ou mais!!
Pudera!! Está aqui tão bem, tão aconchegadinho!! A mãe até música lhe põe para ele ouvir e se mexer ao ritmo dela!! Não há razão nenhuma para sair cá para fora :)

39 semanas, e apesar do útero estar maduro e ter já um dedo de dilatação, zero contrações...

Ai Miguel! Está tudo pronto para te receber, só faltas tu!!

Aqui fica a música preferida do Miguel!!

terça-feira, 15 de julho de 2014

E o calor, senhores, e o calor?!....

Ai o calor!! Solinho bom para passear e ir à praia ou à piscina, verão bom para passar as férias, relaxar, subir o astral da malta....
Pois é, é muito bom para toda a gente, excepto para a grávida que já não dorme com o calor, não pode apanhar banhos de sol sem virar logo camarão e tem os pés e mãos mais inchados que nunca...
O cansaço nunca foi maior e as tarefas do dia-a-dia tornaram-se cada vez mais difíceis...

Por outro lado, cada vez mais e mais sinto o meu bebé e cada vez mais e mais se aproxima o dia de o ter nos braços!!
Está tudo bem! O bebé já desceu e encaixou a cabecita, o colo do útero já está mole e permeável e o rolhão mucoso já saiu... Só faltam mesmo as contrações para juntar a festa, de resto está tudo adiantado!!

Muito em breve terei novidades, de certeza!!!


sábado, 5 de julho de 2014

Pois é...

Pois é... É tudo muito bonito, mas a verdade é que não me apetece fazer nada!
A barriga está maior, o bebé estica-se mais, e quando mexe parece um lutador de boxe!
As dores de costas chegaram, na cama pareço uma baleia a dar à costa e para me levantar de lá é um deus nos acuda!
Apanhar algo do chão é um sacrifício, calçar meias ou apertar cordões é missão impossível!
Já para não falar das noites, que é quando o bebé dá o ar de sua graça de forma intensiva!

Estou de 36 semanas, entrei no nono mês de gestação, e apesar disto tudo, não há alegria maior que senti-lo crescer, mexer e saber que em breve o terei nos braços!
Mas entretanto, estás muito bem aqui dentro, quero-te dentro de mim o máximo de tempo possível, pois sei que um dia vou ter saudades disto tudo da gravidez, mesmo da minha falta de agilidade :)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

O Miguel diz Olá!!!

Não, ainda não nasceu!
Ainda estamos nas 34 semanas.

Mas agora que a gripe passou e me sinto melhor, voltei à blogosfera e aproveito para mostrar um pouco do meu filhote!! O que é possível ver nas ecografias, lógico!!

O início!

Já parece um homenzinho!

Com a mãozinha levantada, o Miguel diz Olá!!!

Na terceira ecografia, uma vez que está muito maior, não foi possível ficar com imagens de jeito :(
Mas durante a ecografia fomos vendo as várias partes do corpo e face do nosso filho!!!
Particularmente, a carinha, o narizinho, as bochechinhas, foi uma emoção ver! E os pézinhos juntinhos e uma das mãozinhas atrás da cabeça achei uma graça enorme!!!

E pronto, voltei!! Espero não ter mais percalços até ao fim da gravidez! E vou voltar em força aos vossos blogues para compensar a ausência!!!

Até já!!

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Com uma gripe danada...

Estou com uma gripe danada. Como sabem, grávida não posso tomar nada por isso está a demorar imenso a passar. Desculpem a ausência nos vossos blogues. Voltarei assim que melhorar, espero que rapidamente. Até breve!

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 4

Todavia, a solidão não é apenas um mal das pessoas que subiram na vida e não tiveram tempo para a combater. Ela não se restringe a um só grupo social, atinge tudo e todos por igual e com igual impacto, todos aqueles que não souberam ou não puderam combatê-la.

A solidão atinge também e cada vez mais os mais idosos, que a sociedade marginaliza, como se eles não tivessem mais nada para dar ou como se não merecessem a sua atenção e acção, ou que os seus próprios filhos e familiares abandonam em lares duvidosos ou casas degradadas, sem apoio nem companhia.
Pessoas solitárias são também aquelas cujas escolhas na vida as ditaram à marginalização, rejeitadas pela sociedade por serem o exemplo de tudo o que ela tem de pior ou potencia: toxicodependentes, sem-abrigos, prostitutas, ex-reclusos…
E também aquelas que por terem doenças incuráveis são postas de parte, talvez por as outras pessoas terem medo e não quererem acreditar que essas doenças existem ou que, um dia, também elas podem ser vítimas delas: o caso dos doentes com SIDA ou outras doenças infecto-contagiosas, dos deficientes físicos ou mentais ou dos doentes com perturbações psiquiátricas.

Existem muitas formas de encarar a solidão e são todas diferentes as pessoas que dela sofrem…
O que devemos aprender é a doseá-la. Uns poucos momentos de solidão na nossa vida só fazem bem, ajudam-nos a manter o nosso próprio equilíbrio e a aumentar o conhecimento sobre nós próprios.
No entanto, por mais que algumas pessoas tentem negar e digam que não precisam de ninguém e que são independentes, ninguém quer estar sozinho… Todos precisamos da companhia de um amor, de amigos, de familiares. Todos desejamos que a solidão seja, enfim, uns raros momentos de introspecção…



Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 4 de 4



Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 3

No entanto, a solidão é uma palavra de dois gumes… e o que parece ser um paraíso para uns, para outros pode ser um verdadeiro inferno…
Numa sociedade que dá primazia ao ter uma grande carreira profissional, ao ganhar muito dinheiro e ostentar grandes bens, e que nos leva a pensar que só assim seremos homens e mulheres de sucesso, é cada vez mais difícil encontrar amigos sinceros e amores verdadeiros, e as pessoas entregam-se a relações superficiais e falsas, que logo acabam em lágrimas e sofrimento.

Enquanto se é jovem, não se dá imediatamente conta disso e continua-se a alimentar a carreira profissional e a fazer crescer o dinheiro para se acumular mais bens. Mas, quando se começa a envelhecer e a carreira já está concluída, o dinheiro guardado e os bens acumulados, só aí se dá conta de que ainda falta algo… Falta o amor, a amizade, a bondade, a tolerância, a paz, falta alegria e felicidade…

E, então, começa-se a procurá-los, mas não se sabe como os procurar, onde os procurar, porque eles não se compram nem se mandam fazer. E como exigem novos métodos que não os aplicados no trabalho, depressa se desiste de os procurar e entregámo-nos à solidão de uma casa grande e rica, mas vazia, oca.



Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 3 de 4



Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

sábado, 24 de maio de 2014

Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 2

Então refugiam-se em casa, na solidão de quatro paredes, descansam, mais a mente do que o corpo. Não ligam a televisão, porque aí a frustração seria ainda maior. Mas ouvem música, suave e reconfortante, que os faz pensar que o paraíso existe e que o amor, a amizade, a bondade, a tolerância, a paz podem estar ali, contidas nessa música tão bela e harmoniosa. Ou, então, lêem um livro e transportam-se para outros lugares, belos, esquecidos do tempo, onde a natureza ainda vive, onde as pessoas ainda eram boas e inocentes…

E na solidão e no silêncio da noite são outra vez seres humanos livres e não escravos da sociedade e do mundo moderno. E, então, sentem-se bem e felizes, pelo menos até ao nascer do dia.

A solidão pode, então, ser considerada uma palavra boa, já que é estando sós que nos redescobrimos a nós próprios, que somos quem realmente somos, que reencontramos a paz dentro de nós…




Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 2 de 4




Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Miguel Update

A gravidez, por vezes, é uma coisa algo complicada. 

Diversos factores clamam a nossa atenção: o que faz bem a nós, o que faz bem ao bebé, o que nos prejudica, o que prejudica o bebé, a alimentação, os suplementos, os exames, as consultas, as aulas de preparação para o parto, os hábitos do dia-a-dia, os factores hereditários, o stress, o exercício físico, o descanso. Pelo meio temos a preparação da roupa do bebé, a preparação do quarto do bebé, a compra de produtos de farmácia para a mãe e para o bebé, a compra e organização de uma imensa quantidade de coisas para o bebé, o seu bem-estar, a alimentação, a saúde, a brincadeira,... Depois vamos lendo coisas em livros e na internet sobre a gravidez, o parto, o puerpério, os cuidados do bebé, a amamentação,... Mais o que as outras mulheres nos dizem, o que a família diz, o que a médica diz, o que as enfermeiras dizem...

Uff... Escrevendo tudo isto parece mesmo imensa coisa a ter em conta, principalmente se pensarmos que apenas mencionei a maior parte...

Por isso, tenho estado um pouco ausente. A minha médica no centro de saúde disse-me que eu tenho a tensão arterial alta e que devo ir ao hospital, vou ao hospital já está normal, vou às enfermeiras também está normal, volto à médica está alta... Enfim, ou o medidor dela é diferente de todos os outros ou a minha tensão aumenta só de ir à médica :) Mas vou vigiando semanalmente, pois com estas coisas não se brinca.
Também levei raspanete da médica por ter engordado agora 6 kilos em pouco mais de um mês, apesar de ter engordado apenas 2 no total dos 6 meses anteriores... Já as enfermeiras dizem que é perfeitamente normal...

Mas, uma boa notícia!! O Miguel já deu a volta!!!
Entre o dia 8 e o dia 10 de maio, com 28 semanas, senti muito desconforto, ele mexia imenso, parecia uma revolução na minha barriga. No dia 10 de maio, sábado à tarde, comecei a sentir um peso enorme no fundo da barriga, parecia que ele queria saltar cá para fora. Até tive que descansar mais pois ele enfincou-se de tal forma no lado direito da barriga que ao passar as mãos sentia-o todo!! No dia seguinte, já tinha a barriga equilibrada, mais bicuda, mais para a frente, pelo que pensei logo que ele tinha dado a volta!
Tive a confirmação no dia que fui ao hospital por causa da tensão arterial. Eles fazem sempre exame completo e para ver o coração do bebé fazem ecografia. Mal puseram o aparelho no fundo da minha barriga lá estava a cabecinha do Miguel!!! Fiquei super feliz e orgulhosa do meu pimpolho!!!

Então, está explicada a minha ausência! Nada de grave aconteceu, apenas tenho de me vigiar.
Andei a preparar alguma da roupa do bebé, que já é muita, felizmente, têm nos dado imensa!! Lavar, secar, passar, organizar por tamanhos demora um tempinho e eu fico babada a imaginar o Miguel nela!
Agora com este tempo de chuva tive que parar essas organizações, com muita pena minha.

E, bem, a verdade é que desde que confirmei que o meu pimpolho deu a volta ando tão babada e orgulhosa que passo o tempo a afagar a barriga, a pôr música para ele e a senti-lo mexer!!!

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 1

Solidão. Segundo o Grande Dicionário da Língua Portuguesa, solidão é o estado do que está só, de uma pessoa solitária, apartada do mundo.

Na realidade, às vezes, é benéfico apartarmo-nos do mundo. Afinal, o mundo está tão mal, tão desigual, com tantas pessoas a viver demasiado bem e outras a morrer à fome, com tantas guerras e tanta violência. As pessoas já não sabem o significado da palavra amor, amizade, bondade, tolerância, paz,… Vivem obcecadas com o subir na vida a todo o custo, nem que tenham de pisar os outros no caminho, ganhar cada vez mais dinheiro, mostrar aos outros as riquezas e os estatutos que vão adquirindo…

Mas algumas pessoas não são assim, e ao fim de um dia cansativo de trabalho e de correria, refugiam-se depressa em casa para fugir a esse mundo superficial e enganador, para apartar-se dessas pessoas demasiado ambiciosas, para fugir à frustração de ver as injustiças que acontecem, para fugir à frustração de ver que as pessoas não são o que parecem…



Solidão_A palavra de dois gumes - Parte 1 de 4




Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

sábado, 10 de maio de 2014

O Duma mais leve... :D

O senhor Duma já tinha data marcada para ser castrado. Já há algum tempo que o queria fazer a ver se ele acalmava um pouco, pois era muito traquina e às vezes arisco. 
Mas Dom Duma decidiu meter-se nas lutas de rua... Com dois gatos marmanjões, com o dobro do tamanho dele, e sem vacinas... Ficou mordido e as feridas tiveram de ser tratadas para não infecionar.
Claro que Duma, arisco como ele só, não deixava por nada que o tocassem, quanto mais rapar o pelo e pôr anti-inflamatórios... Tinha de ser sedado, por isso decidiu-se fazer tudo de uma vez: tratar as feridas e castrar.

Agora Dom Duma parece uma parabólica, não por causa da castração mas sim para não lamber as feridas!! Além de parecer também um caniche com pom pom, pois foi mordido nas patas e no rabo!!
Ora digam lá se não está um querido!!



Pobrezinho

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Ode ao Silêncio

Chiu!
Calem-se!
Parem!
Deixem-me ouvir o Silêncio!
Ah! Eu gosto de ouvir o Silêncio
De ouvir o que ele diz!
Dá-me uma paz ouvir o Silêncio…!


Ah! Bendito Silêncio!
Tu dás paz à minha alma
Fazes voar o meu espírito
E ele voa, ah, voa para longe deste inferno!


Voa para o longínquo tempo onde havia natureza
Onde se ouvia o barulho das folhas das árvores moverem-se ao sabor do vento
Onde as águas dos rios corriam livres no seu percurso
Onde se acordava com o cantar dos pássaros
E onde até, por vezes, se ouvia o desabrochar das flores…!


Ah! Que saudades desse tempo!
Mata-me as saudades do tempo em que eu era feliz!
Ah! Bendito Silêncio!
Inunda os meus ouvidos com a tua voz
E transporta-me de novo para esse tempo…




Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

terça-feira, 6 de maio de 2014

Estou de queixo caído...

Há dias, andava eu a explorar a blogoesfera, encontrei este vídeo no blog da Izzie, daqui.
Não conhecia este grupo e fiquei de queixo caído!
Impressionante!
Apreciem!

sábado, 3 de maio de 2014

Ode ao Sono

Vem, Sono, vem!
Vem cobrir de trevas os meus pensamentos
Vem fechar meus olhos para eu não ver o sofrimento
Vem povoar de sonhos o meu espírito.


Ah! Bendito Sono!
Bem-aventurado sejas por me dares este consolo.
A minha alma te agradece esse descanso apetecido
E o meu corpo ama essa tua letargia.


Vem Sono, vem interromper meus pensamentos tenebrosos,
Minhas ideias suicidas.
Vem dar vida a este meu espírito que só pensa na morte.
Vem oferecer-me os sonhos da minha vida!




Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Bem-aventurado

Bem-aventurado o que maneja a enxada tão bem como a caneta
E não tem medo de ser chamado lavrador.
De dia trabalha a terra e faz nascer seus alimentos
E à noite escreve papéis e faz nascer os seus poemas.



Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

terça-feira, 29 de abril de 2014

O mundo é bom e belo ... Enquanto alguém olhar para ele com amor...

Como podes viver sem saberes se o que fazes é certo?
Como podes viver sem saberes o que queres?
Como podes acordar de manhã e voltar para a vida
Sem saberes o que os outros esperam de ti?

Como podes ter sonhos sem saberes se estes vão ser realidade?
Como podes continuar a sonhar seres o que não és?
Como podes continuar a caminhar nos dias
E sorrir, olhando o mundo com amor?



Sim, não sei se o que faço é certo.
Não sei o que quero nem o que os outros esperam de mim.
Não sei se os meus sonhos se tornarão realidade
E mesmo assim continuo a sonhar ser o que não sou
E continuo a caminhar nos dias
E sorrio porque o mundo é bom e belo
Enquanto alguém olhar para ele com amor…




Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Duma Update

Há já algum tempo que não mostrava o meu gato Duma :) 
Ficam algumas fotos dele, cada vez mais fofo :D

Duma indecente

AAAAAAhhhhhh... Que sono....

Eu sou um anjinho...


quarta-feira, 23 de abril de 2014

Depois da Páscoa

Obrigada a todos os que me desejaram também uma Páscoa feliz!
A minha este ano foi quase como que prolongada uns dias para além do dia de Páscoa propriamente dito.
Isto porque para além de estar desempregada e com mais tempo para dedicar à família (tenho de ser positiva e ver sempre o lado bom das coisas...), este ano o marido marcou férias para esta altura e, claro é de aproveitar!!!

Espero que a vossa Páscoa também tenha sido óptima!!

As minhas preferidas!!

Imagem retirada de: https://www.google.pt/search?q=am%C3%AAndoas+p%C3%A1scoa&es_sm=122&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=8AxYU5DELOed0wWX84DQBA&ved=0CC0QsAQ&biw=1280&bih=685&dpr=1#facrc=_&imgdii=_&imgrc=r4MuvkABy4kLtM%253A%3BJqDLnMu_6LrPOM%3Bhttp%253A%252F%252Fdonasdecasaanonimas.com%252Fwp-content%252Fuploads%252F2012%252F03%252FAmendoa-chocolate.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fdonasdecasaanonimas.com%252Ftradicoes-da-pascoa-em-portugal%252F%3B424%3B400

sábado, 19 de abril de 2014

Feliz Páscoa!

A todos uma Páscoa feliz, cheia de coisas boas e na companhia de quem mais amam!!!






Imagem retirada de: http://www.dastore.com.br/2012/04/feliz-pascoa-amigos.html

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Rio

Queria ter um rio perto de mim
Para contemplar a sua beleza
Sentir o seu cheiro
Ouvir o seu curso
Mergulhar os pés nele
Recolher tesouros do seu leito
E sentir a força da sua natureza.

Queria viver perto de um rio
Adormecer todas as noites inundada pelo som da água a correr
Embalada por ela
Sonhando estar dentro dela e ser parte da sua essência
E acordar de manhã com o mesmo som
Acreditando ainda que tudo o que sonhei era verdade
E que faço parte desse rio.

Queria ter um rio perto de mim.
Queria fazer parte dele.


Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Desejos de grávida

Pois é, no início da gravidez não fui abençoada nem com enjoos nem com desejos, mas agora a meio do percurso aconteceu a parte dos desejos!! Do mal o menos :)

Então o primeiro foi atum, lol... Estava quase na hora de almoço e literalmente cheirou-me a atum. A minha mãe a jurar que não tinha mexido em atum e eu a insistir que me cheirava... Tive mesmo de comer uma lata de atum!

Depois, o mais inusitado: tremoços...!! Andei uma tarde inteira a cheirar-me a tremoços e fiz o homem ir buscar tremoços às 10 da noite pois só pensava neles!! :)

Já desejei pistácios e pastéis de nata, mas tremoços agora tenho de ter sempre em casa, lol!!!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Momento de humor (um pouco negro admito):

O que aconteceu ao avião da Malasya Airlines...



Imagem retirada de: http://www.fanpop.com/clubs/lost/images/11916904/title/lost-final-season-poster-wallpaper-photo

sábado, 22 de março de 2014

As coisas boas no meio das coisas ruins

Pois é! Agora que sei que vou ser mãe de um menino, resolvi anunciá-lo ao mundo!

A família mais próxima já sabia da minha gravidez desde dezembro, mas só agora que sei o sexo do bebé resolvi partilhar com amigos no facebook e blogosfera.
Nos primeiros meses há sempre aquele bichinho que nos diz para não falar sobre o assunto com muita gente, para não contar a novidade a torto e a direito... Bem, provavelmente não haveria mal nenhum em contar logo, mas nunca fiando...

Vivo um sonho desde que senti que estava grávida.
Quando tive a certeza a felicidade misturou-se com o medo, o medo de que algo corra mal, ou de que eu faça algo errado... Mas, claro, a felicidade tem se sobreposto imensamente a esses sentimentos de medo!
Tem sido uma descoberta diária verificar as mudanças no meu corpo, as minhas próprias mudanças de humor (sim, choro por tudo e por nada...), tenho lido imenso sobre gravidez e bebés e tenho pensado em coisas que nunca me passou pela cabeça que algum dia ia pensar!!
Na primeira ecografia quase chorei de felicidade ao ver o meu bebé pela primeira vez e logo a mexer-se tanto!! Parecia estar a comemorar connosco o nosso primeiro encontro!!
Nessa altura, soube que tinha a placenta baixa e fui aconselhada a não pegar em pesos e a não fazer esforços... 
Apanhei logo aí um susto e aí tive a certeza de que a minha vida nunca mais seria igual, de que agora não era só eu, de que tinha um ser pequenino e especial que dependia de mim para tudo e que as minhas acções o afectariam directamente para o bem e para o mal...

De maneira que, a partir daí, tornei-me uma espécie de princesinha na minha casa, fazendo apenas o essencial das tarefas domésticas, sem pressas, sem pegar em nada pesado e com muito descanso à mistura...

Mas esta benesse de grávida durou pouco tempo... Quando meu pai foi hospitalizado em risco de vida e eu o acompanhei, fiquei exposta a tudo o que pretendia evitar. Todos os dias em ambiente hospitalar, a correr de um lado para o outro, em stress e constante sobressalto... O pior momento foi quando recebi uma chamada do hospital a dizer que meu pai tinha entrado em coma e que não havia grandes esperanças de ele acordar e se acordasse teria graves sequelas, e inclusivamente ficar num estado vegetativo...

Felizmente, tal previsão não se cumpriu... O meu pai já não é o mesmo, mas no essencial vive com qualidade de vida! Recupera aos poucos, um dia melhor, outros pior, mas está entre nós com quase todas as suas faculdades!

E felizmente também, os meus receios para a minha gravidez por ter estado sob tanto stress e ter andado tanto tempo no hospital não se cumpriram! Na segunda ecografia vi que tenho dentro de mim um rapagão, continuou a mexer-se imenso, mostrando-se feliz por o estarmos a ver e parece estar tudo bem!! A minha placenta subiu um pouco e pode ser que até ao fim da gravidez esteja no sítio certo!! Além disso, já o sinto mexer dentro de mim e é uma sensação intensa!!

Ainda acompanho o meu pai às consultas no hospital, ele ainda inspira cuidados e às vezes dá-nos alguns sustos e sinto que por vezes abuso um pouco, mas é impossível ser uma grávida princesinha como antes destes acontecimentos e só rezo que os meus receios não se cumpram e continue a correr tudo bem!

Faltam 4 meses e só vejo a hora de o ter nos braços!!!

Imagem retirada de https://www.facebook.com/gravidas

quinta-feira, 6 de março de 2014

O Outono da vida

Lembro-te como uma fortaleza, um enorme castelo de um imensurável reino, invencível e intemporal.
Lembro-te como o Sábio, o que nunca se enganava, o que nunca errava, o que dizia as melhores palavras no momento certo, o que tinha as melhores ações para cada situação.
Lembro-te como aquele que todos queriam alcançar, como aquele com quem todos queriam falar, como aquele com quem todos queriam estar, como aquele que todos queriam imitar.
Lembro-te como o Saudável, o Jovem, o Justo, o Incansável, o Determinado, o Leal...

Agora, vejo a fortaleza desguarnecida, o seu poderio ruiu, o seu reino dividiu-se e dispersou-se. Já não é invencível, suas forças quase o abandonaram, já não é intemporal, a morte esteve demasiado presente...
Agora, o Sábio esqueceu as coisas mais simples da vida e da sua natureza, perdido no tempo e no espaço, não distingue os dias das noites, a sala do quarto... As palavras já não saem com a mesma fluidez nem com a mesma lucidez, as ações tornam-se difíceis e desajeitadas, quando já o simples andar é custoso e impossível sem ajuda...
Agora, já ninguém te quer alcançar, já ninguém te quer falar, estar contigo ou imitar-te... No Outono da vida todos se afastam, ficam apenas aqueles que têm por ti verdadeiro amor.
Agora, Pai, já não és o saudável, o jovem, o justo, que todos invejavam e idolatravam, mas para mim continuas a ser um Vencedor na vida, o Vencedor da morte, Incansável, Determinado, Leal...

terça-feira, 4 de março de 2014

Obrigada!

Muito obrigada a todos os que manifestaram desejos de melhoras para o meu pai e me encorajaram a continuar a ter força para continuar e enfrentar estes momentos tão difíceis!

O meu pai já está em casa, está muito melhor, mas ainda dependente para quase tudo e com muito pouco apetite. Além disso, tem ido a consultas de controlo de sangue uma vez por semana, a um hospital um pouco longe de casa, o que o tem deixado mais cansado nesses dias.

Mas, acredito que, com o tempo, vai melhorar cada vez mais, ficar mais forte e com mais saúde, e agradeço todos os dias por ainda estar presente entre nós!

Mais uma vez, agradeço as palavras de conforto e encorajamento! 
Muito obrigada!
Continuarei a voltar sempre que possível!

domingo, 23 de fevereiro de 2014

De volta... O motivo desta ausência...

Mais uma vez, contra a minha vontade, vi-me forçada a deixar para trás este blog e a dedicar-me a dar atenção completa a problemas da vida real...
Desta vez, o motivo prende-se com a saúde do meu pai, que já é idoso (77 anos), e que foi internado de urgência devido ao aparecimento da diabetes, uma doença que até agora nunca lhe tinha sido diagnosticada. As diabetes estavam descontroladas, o meu pai entrou em coma e esteve em risco de vida ou de perder as suas faculdades físicas e mentais. Um homem que sempre foi independente, conduzia e fazia a sua vida normal, apesar de ter insuficiência cardíaca... Foram horas de angústia, desespero e até alguma revolta...
Felizmente, o meu pai agarrou-se à vida, saiu do coma, ainda esteve algumas horas em risco de vida, mas aos poucos foi recuperando. O coração é que deixou de funcionar de forma autónoma e agora trabalha com a ajuda de um pacemaker...
No entanto, quando teve alta, após uns dias em casa em que inspirava ainda bastantes cuidados, o seu estado de saúde piorou... De novo foi às urgências e saiu com o diagnóstico de infeção urinária... Mas não melhorou, pelo que três dias depois voltou às urgências, em estado mais grave, e ficou internado com uma infeção pulmonar contraída em contexto hospitalar...
Neste momento, ainda está internado, o seu estado melhorou e pode ser que tenha alta durante a próxima semana...
Estes dias têm, assim, sido uma loucura, uma correria para o hospital, um sobressalto constante, uma angústia constante... Pelo que tudo o resto tem sido negligenciado...
Peço desculpa pela grande ausência, mas com certeza tenho a vossa compreensão.
Fica a promessa de voltar em força assim que seja possível!

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Ausência

Hoje deixo-vos com um dos poemas que faz parte do meu livro Queria de ti, à venda nos links aqui ao lado ou através de contacto comigo por e-mail, disponível também aqui no lado direito :)


Ausência

Estendo para ti a minha mão
Para sentir teu aconchego
Mas só encontro a meu lado
O teu lugar na cama vazio.

Chamo teu nome no escuro
Procuro-te pelo quarto
Por fim encaro a verdade
Já não estás mais aqui.

Depois dos beijos trocados
Depois das carícias infinitas
Depois do abraço apertado
Fico na solidão, triste.

Choro, gritando nunca mais.
Mas quando te aproximas de mim
Não consigo resistir-te
E de novo me entrego, feliz…



Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Mais uma mania do Duma...

Após a malograda queda do Duma logo em bebé, ainda no veterinário, este aconselhou vigilância sobre o gato, pois era importante que o narizinho não entupisse... E que melhor maneira de vigiar o bicho senão levá-lo para o quarto para a nossa beira? Pois é, Duma dormiu connosco nessa noite... E na noite a seguir, e na noite a seguir... Adora dormir na cama no nosso meio e nem que não queiramos, ele quer e faz-se ao piso. Acabaram as noites sossegadas...


O ar satisfeito dele...

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Amor

Acordo contigo no meu pensamento.
Passo o dia contando as horas que faltam para estar contigo.
O momento mais feliz é quando chega a noite
E te posso ver.
Adormeço a pensar em ti
E no sono sonho contigo.



Autora: Cristina Maria Maias Oliveira
Respeite os direitos de autor / se copiar divulgue a autoria.

sábado, 25 de janeiro de 2014

Síndrome de Paraquedista

Desde os primeiros dias que chegou à nossa casa, Dom Duma tem-nos causado alguns sustos e trabalhos, resultantes das suas várias tropelias e manias...
Logo no terceiro dia, em junho, com 1 mês e pouco, iniciámos o Duma na descida e subida das escadas exteriores lá de casa. Ainda com algum medo de tudo, mostrou-se relutante em iniciar a descida. Estava eu no pátio a incentivá-lo e o dono em baixo a chamá-lo, mas nada. Ao fim de um tempo, vim para dentro fazer outras tarefas, enquanto o dono lidava com o gato. 
De repente ouvi um baque, tive logo um pressentimento e corri para o pátio, olhei para baixo mas não vi nem gato nem dono... Até que ouvi um miar de trás da casa e lá vinha o Duma a miar feito desalmado. Olhei atentamente e notei que ele estava a sangrar. Comecei logo a gritar pelo marido, que tinha ido fazer não sei o quê ao jardim. 
O que aconteceu: o dono achou por bem deixar o gato, que se recusava a descer as escadas, sozinho no pátio; o gato, vendo-se sozinho, achou por bem ir à procura do dono, ATIRANDO-SE do pátio abaixo, CAINDO de uma altura de cerca de 3 METROS!
O interessante é que caiu, continuou a andar, indo procurar o dono atrás da casa, quando ele estava na frente, e não o vendo é que desatou a berrar...
Ele não parecia mal quando o peguei, mas sangrava do nariz e eu só conseguia pensar em lesões internas. Portanto, toca a levá-lo ao veterinário. Já passava das 20 horas e tivemos de pedir consulta de urgência.
Pelo caminho, ele ia no meu colo e só o via a desfalecer, com os olhos cheios de lágrimas e a espirrar com o nariz entupido de sangue...
Quando o veterinário chegou e entramos no consultório, ele pediu para o pormos no chão para ver como ele andava. E não é que o gato começou a andar todo reguila a explorar o consultório todo?! Nem parecia o mesmo que há dois minutos estava a desfalecer no meu colo...
O veterinário examinou-o e determinou que estava tudo bem, que devia apenas ter batido com o nariz no chão ao cair, que era importante evitar que o nariz tapasse (se os gatos não cheirarem a comida, podem recusar-se a comer) e receitou um anti-inflamatório muito suave para evitar o inchaço do narizinho.
Dom Duma teve muita sorte por ser gatinho e ter ainda os ossos em formação, senão partia mesmo alguma coisa, e foi batizado pelo veterinário como tendo o síndrome de paraquedista! Lol
Bem, escusado será dizer que durante uns tempos Duma Paraquedista não teve acesso nem a pátio nem a varanda...
Que susto...

As célebres escadas

Era mesmo pequenito, parecia um ratito, lol

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Algumas fotos do Duma

Já há algum tempo que não posto...
Peço imensa desculpa, não estava nos meus planos estar assim tanto tempo fora do blog, mas surgiram inquietações pessoais que não me deixaram pensar em mais nada.
Talvez em breve fale um pouco sobre isso.

Entretanto, para me redimir, e uma vez que o meu gato Duma despertou tantos elogios à sua pessoa (ele é realmente um gatão bonitão), deixo-vos algumas fotos dele desde a sua vinda cá para casa!!

No dia em que chegou, com um mês e meio (Dia da Criança!! Bem apropriado, não?)




Dois meses. A apanhar sol!

Com tudo a que tem direito :)

A "mórar"


Quatro meses

Mais tarde mostrarei mais fotos, que o post já vai longo.

Espero que gostem!!

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

O meu gato é um ladrão

Andava eu a arrumar as coisinhas de Dom Duma e não é que me aparece no meio das mantas dele uma nota de 5 euros meia roída?!
Deve tê-la surripiado de cima da mesa da cozinha já há algum tempo...
Já falei com ele que se ele quiser pode trazer para o jardim as suas gatinhas, não necessita andar a gastar dinheiro fora... Lol


Carinha de inocente, pois...

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Porquê Eusébio?

Não sou o tipo de pessoa de postar efemérides no facebook ou no blog, de lamentar publicamente a morte de pessoas famosas... 
Nos últimos tempos tenho assistido à morte de pessoas mais ou menos famosas, mais novas ou mais idosas, pessoas que tinham um lugar no mundo, que tinham um papel marcante e que mesmo depois da sua partida não serão esquecidas, pessoas que de alguma forma estimava e lamentei essas mortes, mas não publicamente, talvez por uma questão de respeito ou talvez como forma de evitar a banalização dessas mortes (é algo que me faz muita impressão a banalização da morte... Para mim a morte nunca deve ser assim aceite de forma tão leve e natural.).

Mas, então, porquê Eusébio? Porquê manifestar-me publicamente em relação à sua morte, quando não o fiz em relação a outras mortes?

Porque Eusébio era um grande e humilde Homem, o maior jogador de futebol português de sempre, uma lenda, um génio, o Rei, o sempre eterno, MAS, acima de tudo, era o SÍMBOLO do Verdadeiro e Honesto futebol, que infelizmente morreu com ele.

Eusébio era o último dos grandes jogadores de futebol português do tempo em que um jogo de futebol era apenas um jogo de futebol, em que se jogava por amor à camisola e não por mais uns milhões, em que se jogavam MESMO 90 minutos, em que se corria desalmadamente por um golo correndo-se o risco de lesões graves sem os cuidados de saúde que hoje em dia os jogadores de futebol têm, em que existia fair-play honesto e respeito uns pelos outros... Um futebol em vias de extinção e que agora morreu com ele...

Espero que nunca seja esquecido, principalmente pelos actuais jogadores que ganhariam imenso em torná-lo o seu exemplo...

Espero que tudo o que foi dito acerca dele ontem e hoje não seja esquecido e que o futebol português para sempre tenha em mente o EXEMPLO de Eusébio, o Pantera Negra, a Lenda, o Génio, o Rei do futebol português!


quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Balanço

O final de um ano e início de outro é para mim um período de reflexão, balanço e até alguma melancolia.

Não sou do tipo de pensar em "ano novo, vida nova", "desejos para o novo ano" ou "este ano é que vai ser", mas neste período não consigo deixar de parar um pouco e refletir, fazer o balanço do ano velho e tecer alguns objetivos para o novo ano (objetivos, não desejos que já sou crescida e sei que nada cai do céu...).

Em 2013, continuei a viver a minha vida de casada (casei no fim do ano de 2012), a adaptar-me a novas situações que surgem num casamento e a alimentá-lo desde o início, pois para tudo dar certo tem de se tentar fazer as coisas bem desde o início.

Em 2013, continuei a fazer da minha casa a minha casa... Ainda não está tudo feito. mas aos poucos irá ficar mais aconchegada.

Em 2013, continuei a lutar pelo meu emprego, e perdi esse emprego apesar da luta.

Em 2013, continuei a lutar pelo meu livro e a divulgar a minha poesia, apesar da pouca receção.

Em 2013, fizemos planos que se concretizarão em 2014, ou talvez já se estejam a concretizar, a ver vamos... Disso falarei mais tarde.

Enfim, foi um ano bom, e mau ao mesmo tempo. Sinto que deve ser o mesmo para todas as pessoas. Há sempre coisas boas e más em todas as vidas, não sejamos hipócritas.

O importante, e o que eu espero que aconteça comigo, é manter a esperança e renová-la a cada nova situação, mesmo que seja má.

A todos, um Feliz Ano de 2014, com Esperança!